Brasília, 12 de maio de 2022 às 02:41
Selecione o Idioma:

Papo do Dia

Postado em 15/12/2021 7:11

GLOBO NÃO DEIXA VERDADE APARECER PARA EXPLICAR FRACASSO ECONÔMICO E ELEITORAL DO BOLSONARISMO FASCISTA

.

César Fonseca 
 A censura da Globo ao cientista político Fernando Abrúcio, que credita o sucesso eleitoral em ascensão de Lula ao fracasso do neoliberalismo econômico, evidenciou o óbvio: a emissora é aliada do mercado financeiro cujas determinações no processo de financeirização econômica produzem recessão, inflação, desemprego, juro alto e colapso financeiro que coloca o Estado, com dívida especulativa elevada, à beira do precipício, responsável por detonar candidatura de Bolsonaro. A Globo quer, apenas, o bolsonarismo financeiro especulativo, enquanto abomina Bolsonaro cuja estratégia política e econômica somente tem vez mediante fascismo antidemocrático; tirar o fascista Bolsonaro eliminaria ou manteria o bolsonarismo econômico financeiro do qual a Globo é aliado? Grande contradição!
LOGICA NEOLIBERAL
Vamos partir de premissa que está escrita em letras garrafais na frente de todos: recessão com juro alto, remédio da equipe econômica, para afundar o país no desemprego e na inflação, não segura disparada dos preços, como demonstra a realidade; o BC puxa os juros para cima com o argumento furado de que é preciso juro alto para combater consumo e derrubar preços/inflação; mas, quanto mais BC puxa juro, mais sobe inflação, porque empresário repassa custo financeiro aos preços; diante dos estoques em alta e do consumo em baixa, ele diminui produção e puxa preço, para manter constante e em elevação a taxa de lucro(eficiência marginal do capital); alguma dúvida sobre isso? E quanto mais puxa juro mais o BC tem contribuído para empobrecer a população e enriquecer os rentistas, que vive do crescimento da dívida pública que o juro bombeia.
NOVO PAPEL DOS JUROS NA 
FINANCEIRIZAÇÃO ECONÔMICA
 A função da taxa de juro deixou, no contexto da financeirização da economia, de ser aquilo que os monetaristas argumentavam: arma contra inflação; ao contrário, ela, agora, é necessária, não para segurar consumo, que está baixo por causa do arrocho salarial, mas para manter elevada a taxa de lucro do capital sobreacumulado que não consegue mais se reproduzir na produção e no consumo, dado que o poder de compra, em regime de subemprego, inviabiliza reprodução do capital, na escala da acumulação em vigor; dessa forma, como se vive no subconsumismo, é preciso subir, mensalmente, o juro para sustentar a lucratividade cadente por falta de consumidor! O presidente do BC, Campos Neto, está falando a pura verdade, que a dívida vai subir com juro alto, mas adotando remédio errado; diz que a economia desaquecida fica mais desaquecida ainda se o juro se mantém elevado; prá que então o BC puxa a taxa de juro em regime de subemprego e de subconsumo? Evidentemente, porque a soma de subemprego com subconsumo não remunera os capitalistas da produção, que descolam da economia real para ganhar na economia fictícia, reproduzindo lucro, na especulação, no exterior da realidade; como o BC, graças ao Congresso, com ajuda do PT, recolhe sobras diárias de dinheiro empossado em caixa dos bancos, para não deixá-las irem ao mercado, de modo a baratear o custo de crédito, com diminuição dos juros, faz o contrário: aumenta os juros! BC sustenta a República Jurista.
INSANIDADE MACROECONÔMICA BOMBEIA LULA
O que esperar dessa insanidade economicida tupiniquim? Claro, desemprego, subemprego, subconsumo, recessão, fuga de capital, diante da desigualdade social, desindustrialização, retorno mais acelerado da economia à fase semicolonial; o encavalamento de crises sobre crises, que se expressa na puxada de juro para, equivocadamente, tentar combater inflação, o que só produz, claro, mais crise, é o que explica a disparada de Lula na pesquisa eleitoral; crise é fome, é desemprego, é desalento, é desespero popular, acelerado pelo neoliberalismo praticado por Paulo Guedes e seu comparsa Campos Neto; nada melhor para a oposição; já, já o Centrão larga Bolsonaro de mão; como os partidos que o formam, constituindo a nata do conservadorismo nacional, que vive de maracutaiais articuladas em orçamento secreto, suportarão a sangria de votos que se expressa no repúdio de 70% da população ao capitão presidente, segundo pesquisa Ipec? Metamorfose ambulante, Centrão se prepara, portanto, para mudar de posição. Afinal, o contrapolo dessa ojeriza ao presidente, que vai num crescendo incontrolável, conforme apontam pesquisa, fala por si só; veja o desespero da Globo! Não suportou, nessa terça feira, entrevista do Abrúcio, no Em Pauta, que explicou a razão da disparada Lula nas pesquisas; cortou-lhe, imediatamente, a palavra, quando dizia que a vitória à vista lulista com 56% dos votos válidos se explica pelo imaginário popular com sua memória no lulismo distribuidor de renda.
ADIOS LIBERDADE DE PRENSA 
Os repórteres da Globo, ao serem cortados, em suas indagações, estão proibidos de dar ao público da emissora explicação competente do porque do avanço eleitoral do ex-presidente petista, e se o fizerem, já viu, né, estarão pedindo para ser demitidos; não há, portanto, liberdade de imprensa na Globo; fantasia, mera propaganda; há, sim, liberdade isolada da empresa em eleger quem pode expressar opiniões, apenas, sintonizadas com o ponto de vista dela; como dizia Millor Fernandes, não há opinião pública, apenas, opinião publicada, que atende o interesse de quem a publica; desse modo, tanto Campos Neto, como Paulo Guedes, que falam o que querem sobre o péssimo comportamento da economia que comandam, subordinando-se às ordens do mercado financeiro especulativo, jamais serão confrontados porque a opinião deles vai de encontro ao interesse de classe à qual a Globo se alinha, no contexto do neoliberalismo, sintonizado ao governo fascista autoritário, contrário à liberdade de opinião.

Comentários: