Brasília, 2 de dezembro de 2021 às 12:27
Selecione o Idioma:

Cultura

Postado em 15/11/2021 7:22

Filme chileno vence no festival de cinema italiano

.

Roma (Prensa Latina) La mirada incendiada, um filme chileno dirigido por Tatiana Gaviola, foi proclamado melhor filme hoje na seção Competição Oficial do XXXVI Festival Ibero-Latino-americano de Cinema na cidade italiana de Trieste.

O júri, formado por Luigi Cuciniello, Enric Bou e Alberto García Ferrer, disse que o filme, “baseado em um evento real, revela de forma dramaturgicamente eficaz e original um episódio trágico de oposição popular ao regime de Pinochet”.

O Prêmio Especial do Júri foi para a República Dominicana para Malpaso, de Héctor Vélez, por “sua linguagem cinematográfica muito eficaz e essencial, com um equilíbrio envolvente entre o cenário fronteiriço extremo e o desenvolvimento psicológico credível dos personagens”.

O prêmio de Melhor Roteiro foi para o mexicano Carlos Cuarón pela Amalgama, enquanto o argentino Martín Desalvo ganhou o prêmio de Melhor Diretor pelo El silencio del cazador pela forma como ele “equilibra e orienta o desenvolvimento dos personagens e seu crescimento, e sustenta a ação, a tensão e a estrutura”.

Por sua vez, Anabela Moreira ganhou o prêmio de melhor atriz por sua atuação na co-produção franco-portuguesa O último banho e a Menção Especial foi para as atrizes do filme mexicano Nudo mixteco.

Na seção Competição Contemporânea, os prêmios de Melhor Filme, Melhor Roteiro e Prêmio do Público foram para a co-produção mexicano-norueguesa Mapa de sueños, dirigida por Martín Weber.

Enquanto isso, o filme dominicano de Rolando Díaz Dossier de ausencias e o filme colombiano de Jacobo del Castillo El film justifica los medios foram reconhecidos como Melhor Produção e Menção Especial, respectivamente. Outros filmes que receberam prêmios no evento, que termina hoje, incluem o brasileiro-português O clube dos anjos, na seção de Cinema e Literatura, enquanto o mexicano Negra, de Medhin Tewolde Serrano, recebeu o Prêmio Malvinas Contemporâneo e Tejiendo sombras, de Erica Nguyen, recebeu o Prêmio Mundial Latino.

Comentários: