Brasília, 22 de outubro de 2021 às 20:25
Selecione o Idioma:

Internacional

Postado em 12/10/2020 7:24

EUA deixam tropas no território sírio para ‘pilhar’ petróleo, aponta mídia

.

ORIENTE MÉDIO 

Em 2019, o presidente dos EUA, Donald Trump admitiu que Washington “deixou as tropas para trás” na Síria “apenas pelo petróleo”.

Damasco segue afirmando que Trump está roubando os recursos sírios, mas o presidente Bashar Assad também elogiou o líder norte-americano por este admitir abertamente o motivo real das forças norte-americanas ocuparem parte de seu país.

Um comboio de veículos carregado com petróleo bombeado de poços localizados na região de Jazira, ocupada pelos EUA, deixou a província de Al-Hasakah em direção à passagem ilegal de Al-Waleed na fronteira entre a Síria e o Iraque no sábado (10) à noite, informou a agência de notícias SANA.

Em setembro, a agência reportou que outro comboio formado por 35 caminhões-tanque havia cruzado a fronteira, sendo este um de vários incidentes de contrabando relatados.

EUA patrulham campos petrolíferos sírios no leste da Síria, 28 de outubro de 2019
© AP PHOTO / BADERKHAN AHMAD
EUA patrulham campos petrolíferos sírios no leste da Síria

Anteriormente, a inteligência militar russa também havia relatado o contrabando de petróleo pelos EUA a partir da Síria, revelando que o Pentágono, empresas privadas, a CIA e militantes curdos estavam contrabandeando mensalmente petróleo no valor de mais de US$ 30 milhões (R$ 166 milhões) no país devastado pela guerra.

A SANA relatou no domingo (11) que as forças norte-americanas haviam trazido um comboio de 30 veículos a partir do Iraque, para suas bases em Al-Hasakah, na Síria. O comboio incluía caminhões refrigeradores, caminhões-tanque, uma infinidade de Hummers, com aeronaves fornecendo cobertura aérea durante o percurso. Aproximadamente 55 veículos, incluindo 13 unidades militares, tinham sido enviadas uma semana antes.

Também foi informado que um militar das Forças Democráticas da Síria (SDF, na sigla em inglês) foi morto e diversos outros ficaram feridos durante ataques com armas de fogo e bombas contra suas posições em Al-Hasakah por militantes desconhecidos.

Veículo militar dos EUA patrulha campos de petróleo na Síria (imagem de arquivo)
© AP PHOTO / BADERKHAN AHMAD
Veículo militar dos EUA patrulha campos de petróleo na Síria (imagem de arquivo)

Grande parte dos recursos petrolíferos da Síria está concentrada nas províncias de Al-Hasakah e Deir ez-Zor.

Damasco afirma que precisará de bilhões de dólares para reconstruir o país após a guerra, contudo, seus esforços de reconstrução têm sido prejudicados pela presença contínua dos militares norte-americanos, seus aliados curdos e militantes apoiados pela Turquia na região, bem como pelo roubo de recursos.

Em agosto, Damasco denunciou a assinatura de um acordo de venda de petróleo entre as FDS e uma empresa norte-americana, classificando o acordo como um ato de “agressão” contra a soberania da Síria e sugerindo que o principal objetivo era “atrapalhar os esforços de reconstrução do país após a destruição causada pelo terrorismo apoiado principalmente pela administração Trump”.

Comentários: