23.5 C
Brasília
domingo, 14 julho, 2024

Estuprador bolsonarista sofre nova derrota

 Por Altamiro Borges

O ricaço Thiago Brennand, que se jactava nas redes sociais de ser “armamentista, conservador e bolsonarista” e que atualmente reside na cadeia, segue sofrendo derrotas na Justiça. Na semana passada, ele foi condenado a pagar uma indenização de R$ 60 mil à advogada Gabriela Manssur. Em 2022, o empresário ficou famoso ao ser flagrado por câmeras de vídeo agredindo uma modelo numa academia de ginástica de São Paulo. Covarde, ele fugiu do país, mas foi preso em abril do ano passado nos Emirados Árabes e foi extraditado para o Brasil.

Desde então, o milionário bolsonarista já sofreu três condenações em processos criminais em primeira instância por agressões a mulheres. A última ocorreu em janeiro deste ano quando recebeu uma pena de oito anos de prisão em uma acusação de estupro. No caso da indenização fixada agora pela Justiça paulista, a beneficiada é a ex-promotora Gabriela Manssur, advogada da modelo agredida na academia.

“Armamentista, conservador” e covarde

Como lembra postagem do UOL, “antes de ser preso, Brennand publicou um vídeo nas redes sociais chamando a advogada de ‘bandida, maloqueira e canalha’ e acusando-a de praticar tráfico de influência. Por conta das afirmações, a advogada abriu duas ações contra o empresário. Uma queixa-crime e um processo cível por dano moral nos quais afirma que Brennand a ofendeu com ‘um comportamento costumeiro de homens covardes’ que desqualificam pessoas do gênero feminino, ‘principalmente quando ocupam cargos de poder e liderança’”.

No processo criminal, a punição foi extinta, pois a Justiça considerou que prazos legais para a regularização da ação haviam sido perdidos. Gabriela Manssur recorreu, mas ainda aguarda novo julgamento. Já a indenização de R$ 60 mil, que ainda será acrescida de juros e correção monetária, foi determinada pela Justiça no processo cível em decisão publicada em 5 de junho. “Brennand, que está preso desde abril de 2023 no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Pinheiros, na capital paulista, ainda pode recorrer”, complementa o site.

Quando da sua fuga para Abu Dhabi, o metido a valentão postou vídeo em suas redes digitais em que desafiava a Justiça. “Não estou fugindo. Quem vai se submeter a um Estado de exceção? Vocês mexeram com a pessoa errada. Vocês morrem de inveja. Branco, heterossexual inegociável. Armamentista, óbvio. Conservador, sempre”, esbravejou. Antes de ser desmascarado, o estuprador bolsonarista também gostava de se jactar de ter influência entre ministros do covil fascista. Agora, o empresário ricaço reside na cadeia.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS