Brasília, 25 de novembro de 2021 às 05:40
Selecione o Idioma:

Brasil

Postado em 29/01/2019 9:10

Engenheiros responsáveis pela segurança de barragem em Brumadinho são presos

.

© REUTERS / Washington Alves

Segundo as investigações, os engenheiros atestaram a segurança da barragem que rompeu em Minas Gerais, deixando, até o momento, 65 pessoas mortas.

Na manhã desta terça-feira (29), o Ministério Público de São Paulo, em conjunto com a Polícia Civil, cumpriu dois mandados de prisão temporária expedidos pela Justiça Estadual de Minas Gerais contra os engenheiros que atestaram a segurança da barragem 1 da Mina do Feijão, em Brumadinho (MG). Além disso, outros três mandados de prisão foram cumpridos em Minas Gerais, totalizando cinco prisões nos dois estados.

Os investigadores apuram se os documentos realizados por empresas contratadas pela Vale e que atestavam a segurança da barragem foram fraudados.

Os engenheiros Makoto Namba e André Yum Yassuda foram presos na Zona Sul da cidade e levados para a sede da Polícia Civil.

A operação está sendo coordenada pelos promotores do núcleo da capital do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público de São Paulo, e pelo Departamento de Capturas (Decade) da Polícia Civil de São Paulo, segundo o portal de notícias G1.

Além disso, a Polícia Federal também participa da ação e cumpre dois mandados de busca e apreensão em empresas que prestaram serviços para a Vale.No momento, os documentos técnicos, feitos por empresas contratadas pela Vale e que atestavam a segurança da barragem, estão sendo apurados pelos investigadores do Ministério Público e da polícia com o objetivo de descobrir se foram, de alguma forma, fraudados.

A tragédia, provocada pelo rompimento da barragem da mineradora Vale, em Brumadinho, contabiliza 65 mortes confirmadas, além de 279 pessoas desaparecidas.

Comentários: