14.5 C
Brasília
quinta-feira, 18 julho, 2024

Empresa norte-americana vai explorar mais recursos petrolíferos na Argélia

Argel (Prensa Latina) A transnacional americana ExxonMobil reafirmou o seu interesse em explorar novas oportunidades para o desenvolvimento de negócios petrolíferos nas bacias de Ahnet e Gourara, no sul da Argélia.

Segundo a empresa norte-americana, a ênfase estará na excelência operacional, na inovação tecnológica, no respeito ao meio ambiente e nas melhores práticas de sustentabilidade.

Um memorando de entendimento entre a empresa argelina Sonatrach e a ExxonMobil estabeleceu as reivindicações de ambas as partes, cientes de que a área contém importantes reservas de petróleo e gás.

A assinatura do documento ocorreu nesta capital, com a participação do vice-presidente responsável por negócios e marketing da Sonatrach, Ferhat Ounoughi, e do vice-presidente de exploração e novas oportunidades da ExxonMobil, John Ardill.

O petróleo bruto e o gás representam actualmente cerca de 80 por cento das exportações e a principal fonte de rendimento desta nação do Norte de África.

Em 2027, a Sonatrach anunciou a descoberta de dois novos campos de gás no sudoeste do país, nas bacias de Ahnet e Gourara, respetivamente.

Cálculos preliminares, então divulgados, indicavam que o primeiro reservatório poderia produzir entre cinco mil 737 metros cúbicos e nove mil 743 metros cúbicos por hora, enquanto o segundo poço poderia fornecer cerca de seis mil 970 metros cúbicos por hora.

No início deste ano, o Fórum dos Países Exportadores de Gás (FPEG) indicava que a Argélia era o segundo exportador de gás natural através de gasodutos para a União Europeia (UE) em 2023, com 19 por cento do total.

Também em 2023 houve um aumento significativo nas exportações de gás natural liquefeito (GNL), tornando-se líder no continente africano, estimou a FPEG.

O Ministério da Energia argelino anunciou em Dezembro do ano passado o arranque de vários campos de gás com o objectivo de adicionar quatro mil milhões de metros cúbicos anualmente e assim expandir as exportações para os mercados europeus.

No entanto, o Governo está empenhado em eliminar a acentuada dependência dos hidrocarbonetos e em diversificar a economia nacional.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS