Brasília, 11 de junho de 2021 às 09:32
Selecione o Idioma:

Papo do Dia:

Cuba

Postado em 17/04/2021 9:39

Documentos desclassificados revelam tentativas da CIA de assassinar Fidel e Raúl Castro

.

AMÉRICAS

Sputnik – Documentos ultrassecretos são divulgados na semana em que ocorre o VIII Congresso do Partido Comunista de Cuba, que marca a aposentadoria política de Raúl Castro.

No momento em que o ex-presidente Raúl Castro anunciava sua aposentadoria da vida política em Cuba, o Arquivo de Segurança Nacional dos EUA publicou documentos ultrassecretos desclassificados da Agência Central de Inteligência (CIA, na sigla em inglês) confirmando a tentativa de assassinato dos líderes cubanos e irmãos Fidel e Raúl Castro na década de 1960.

No primeiro plano conhecido de assassinato da CIA contra líderes da revolução cubana, altos funcionários da agência [norte-americana] ofereceram ao piloto de um avião que transportava Raúl Castro de Praga a Havana um pagamento de US$ 10.000 (aproximadamente R$ 56 mil na cotação atual) […] [para] incorrer em riscos de encenar um ‘acidente’ durante o vôo”, lê-se no documento divulgado no site do Arquivo de Segurança Nacional dos EUA.

Ainda segundo o texto, o piloto, José Raúl Martínez, recrutado pela CIA como informante em Cuba, concordou em executar o macabro plano. Depois de iniciada a viagem, o escritório de Washington em Havana recebeu ordens de abandonar a missão, mas não tiveram como contatar o piloto. Martínez teria informado o seu contato na CIA, William Murray, “que não teve a oportunidade de arranjar um acidente como haviam discutido”.

Raúl Castro anuncia saída da liderança do Partido Comunista de Cuba.
© AFP 2021 / ARIEL LEY ROYERO/ACN
Raúl Castro anuncia saída da liderança do Partido Comunista de Cuba.

Tentativa de matar Fidel

Os documentos, que mostram as iniciativas dos funcionários das agências de inteligência norte-americanas, são seis no total, incluindo memorandos e telegramas.

Entre esses, há um que conta outra tentativa, desta vez para assassinar Fidel Castro, que começou a nascer semanas após o complô contra Raul Castro. Em agosto de 1960, o diretor de operações secretas da CIA, Richard Bissell, autorizou a missão para matar Fidel Castro e “aumentar as chances de sucesso do programa contrarrevolucionário da CIA para derrubar seu regime”.

Para a operação, a CIA “desenvolveu uma pílula que tinha os elementos de solubilidade rápida, alto conteúdo letal e pouca ou nenhuma rastreabilidade”. Seis unidades foram produizas e seriam dadas a Fidel misturadas com bebida ou algum alimento, conta o documento. Todavia, a missão foi cancelada após o episódio da Baía dos Porcos, uma tentativa frustrada de invadir a costa cubana em abril de 1961 por exilados anticastristas que contou com o apoio da CIA.

Fidel Castro é flagrado fumando no final da visita de Leonid Brezhnev a Cuba (foto de arquivo)
© SPUTNIK / EDUARD PESOV
Fidel Castro é flagrado fumando no final da visita de Leonid Brezhnev a Cuba (foto de arquivo)

Aposentadoria política de Raúl Castro

Os documentos ultrassecretos da CIA são divulgados na semana em que ocorre o VIII Congresso do Partido Comunista de Cuba, que acabou por concretizar a saída de Raúl Castro da liderança do partido.

Durante sua gestão como chefe do país (2008-2018), Raúl Castro promoveu mudanças na ilha, como o reconhecimento do trabalho privado, a reestruturação de ministérios e o relaxamento das restrições migratórias.

Em 2018, fiel ao aviso de que deixaria o poder após um segundo mandato, o irmão caçula de Fidel Castro entregou a liderança do país ao atual presidente Miguel Díaz-Canel, que o substituiu no cargo.

Comentários: