14.5 C
Brasília
quinta-feira, 18 julho, 2024

Desdolarização está em andamento por causa das políticas de Washington, diz candidata ao Senado

© AP Photo / Mark Lennihan

Sputnik – A desdolarização da economia global já está em curso e está acontecendo como resultado direto das políticas dos EUA, disse à Sputnik a candidata independente ao Senado dos EUA Diane Sare.

“Acho que isso está acontecendo. Está acontecendo. E não precisa ser assim, mas por causa de nossas políticas, acho que as pessoas realmente não têm escolha”, disse Sare, que está concorrendo a uma das duas cadeiras de Nova York no Senado dos EUA.
Quando questionada se esse processo pode ser revertido, Sare disse que um governo “racional” nos EUA poderia ser capaz de inverter a maré.
“Ou talvez não. Você sabe, talvez não devesse ser”, disse ela. “Talvez faça mais sentido ter uma cesta de moedas.”
Sare observou que Lyndon Larouche, oito vezes candidato presidencial independente, com quem trabalhou durante 32 anos, apelou a taxas de câmbio fixas para eliminar a capacidade das pessoas especularem contra as moedas umas das outras e destruírem as economias nacionais.
“Penso que se os Estados Unidos tivessem uma política claramente pretendida pelos nossos pais fundadores, por Hamilton, pelo nosso primeiro secretário do Tesouro, por John Quincy Adams, até mesmo por Lincoln ou John F. Kennedy, isto não estaria acontecendo. Mas no momento está”, acrescentou Sare.
Em uma entrevista com Tucker Carlson, o presidente russo, Vladimir Putin, classificou o uso do dólar pelos EUA como ferramenta de política externa como um dos maiores erros estratégicos da liderança dos EUA. Até mesmo os aliados norte-americanos estão agora reduzindo as suas reservas em dólares americanos, destacou Putin.
O ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, disse em fevereiro que a desdolarização do comércio exterior da Rússia está em curso, com cerca de 90% de todos os pagamentos mútuos com a China e cerca de 50% com a Índia sendo feitos em moedas nacionais.
O presidente da Reserva Federal dos EUA (Fed), Christopher Waller, disse que o domínio do dólar americano provavelmente permanecerá, apesar das manchetes sobre blocos comerciais, criptomoedas e sanções que supostamente minam a sua posição como moeda de reserva mundial.
Bandeiras russas com o prédio do Ministério das Relações Exteriores da Rússia ao fundo em Moscou - Sputnik Brasil, 1920, 23.06.2024

Panorama internacional

Rússia quer impedir politização da cooperação econômica no G20

EUA e Rússia têm formas produtivas de cooperar em benefício da humanidade

Existem formas potenciais de cooperação produtiva entre a Rússia e os Estados Unidos que poderiam beneficiar a humanidade, disse Sare à Sputnik.

“Penso que existem formas muito, muito produtivas pelas quais a Rússia, os Estados Unidos e outras nações com capacidades científicas avançadas poderiam cooperar, o que traria grandes benefícios para a humanidade”, disse Sare. “Se começássemos a promover isso e a nos relacionarmos uns com os outros nessa base, poderíamos deixar para trás essa retórica e ações de guerra.”

A candidata destacou que um exemplo de cooperação bem-sucedida entre os países foi o trabalho na Estação Espacial Internacional (EEI).
Além disso, Sare disse que Moscou e Washington precisam retomar as negociações sobre controle de armas.

“Nós realmente deveríamos estar conversando sobre nos livrarmos completamente das armas nucleares”, disse ela. “Sabe, temos certas ameaças que deveriam ser alarmantes para todos nós, como cometas, meteoritos, asteroides, coisas que poderiam colidir com a Terra e ser o nosso fim. E, francamente, não temos sistemas eficientes para detectar todas essas coisas.”

No início de abril, o chefe da NASA, Bill Nelson, disse que a agência espacial solicitou financiamento de emergência adicional ao Congresso para começar a preparar uma nave espacial para desorbitar a EEI e trazer os seus restos em segurança para a Terra após 2030, caso a cooperação espacial com a Rússia seja interrompida antes disso.
Os planos atuais preveem que a NASA e a empresa espacial estatal russa Roscosmos vão trabalhar em estreita colaboração para desorbitar com segurança a estação, para que os seus detritos não ameacem nenhuma área povoada da Terra. No entanto, dadas as atuais tensões nas relações EUA–Rússia, a segurança dessa cooperação tem sido colocada em dúvida.
Capitólio dos EUA visto através de uma janela do mais antigo prédio do Senado norte-americano, o Russell Senate Office Building, em Washington, D.C. EUA, 15 de março de 2023 - Sputnik Brasil, 1920, 25.06.2024

Panorama internacional

Apreensão de ativos russos pode se voltar contra Washington, diz candidata ao Senado dos EUA

Os EUA poderiam reformar a economia global com a Rússia e a China se não fossem tão hostis

Os Estados Unidos poderiam cooperar com a Rússia, a China e outras potências para transformar o sistema econômico global se abandonassem a sua hostilidade e a guerra financeira, afirmou a candidata independente ao Senado.

“Penso que, realmente, se não fôssemos tão hostis a muitas nações, ficaríamos felizes em colaborar com a Rússia, a China, outras grandes potências econômicas, o Japão, para reorganizar o sistema transatlântico. Se não fizermos isso e continuarmos a colocar sanções contra as pessoas e a roubar o seu dinheiro, vamos ver o que estamos vendo”, disse Sare.

Alguns países estão agora abandonando o dólar americano e encontrando outros meios de comércio que são mais fiáveis, observou ela.
“Isso não é porque as pessoas sejam contra os Estados Unidos em si, mas porque não têm intenção de causar grandes perturbações na sua economia por causa da guerra financeira que estamos tentando lhes impor”, disse ela.
Ela também alertou sobre uma bolha de obrigações de derivativos detidas por Londres e Wall Street, estimada em US$ 2 quatrilhões (cerca de R$ 11,01 quatrilhões).
Sare a chamou de “uma espécie de impulsionador da guerra” e rejeitou a ideia de que os EUA “ainda possam ser a hegemonia global de alguma forma pela força militar, embora isso também não esteja funcionando tão bem”.
“Teremos que encarar o fato de que não há US$ 2 quatrilhões para cumprir essas obrigações. E é aqui que o governo pode intervir e resolver os problemas dos bancos“, afirmou ela.

Em uma sessão plenária do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo, o presidente russo, Vladimir Putin, disse que os EUA estão quebrando a sua própria “ferramenta de grandeza” — o dólar americano. Os EUA, “com as suas próprias mãos”, estão afastando os atores econômicos globais do dólar, observou ele. A mudança do dólar acontecerá de qualquer maneira devido ao encolhimento da economia norte-americana, mas os EUA estão a acelerar esse processo, disse Putin.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS