Brasília, 15 de outubro de 2021 às 02:59
Selecione o Idioma:

Nossa América

Postado em 15/08/2016 8:48

Deputado do Parlasul acusa Serra de tentar impor um golpe no Mercosul

.

Marco Bello/Reuters
O deputado federal Saguas Moraes (PT-AC), e um dos membros da delegação brasileira no Parlasul, acusou, nesta terça-feira, 15, o ministro das Relações Exteriores, José Serra, de tentar impor um golpe no Mercosul ao afirmar que o Brasil não vai permitir que a Venezuela assuma a presidência interina do bloco.
Na véspera, falando a jornalistas no Rio, Serra afirmara que “a Venezuela e o presidente Nicolás maduro não vão presidir o Mercosul”. Como argumento, o chanceler alegou que o país pode ser rebaixado pelo fato de o governo venezuelano não ter cumprido diversos acordos para integração, entre eles o de direitos humanos e de ruptura democrática, com perseguição aos opositores políticos do regime. Brasil, Argentina e Paraguai têm tentado marcar uma reunião para definir o impasse, mas a ministra da Relações Exteriores da Venezuela, Delcy Rodrigues, tem se mostrado intransigente, afirmando que não o que conversar por que o estatuto é claro: a presidência rotativa é da Venezuela desde 31 de julho.
Saguas conta que na sexta-feira passada, durante uma reunião do Parlasul, os países presentes repudiaram a intenção dos governos brasileiros, argentino e paraguaio de impedir que a Venezuela assumisse o cargo pelos próximos seis meses. No dia 31 de julho, o Uruguai finalizou seu mandato e deveria ter passado o posto para a Venezuela, país que deveria assumir a função conforme regulamento do próprio bloco. Saguas diz ser inaceitável a atitude desses países.
“O ministro José Serra, interino, ilegítimo e golpista faz parte de um governo que está tentando chegar ao poder sem o voto, e está questionando a presidência de alguém que chegou pelo voto. Isso é próprio dele. Eles estão finalizando o golpe aqui no Brasil e poderão dar um golpe no Mercosul também. Isso é inaceitável e com certeza vai ter reação dos países do bloco. Nós, enquanto parlamentares do Mercosul não vamos ficar calados. Vamos denunciar isso todos os dias aonde a gente estiver.”
Bandeiras de Mercosul
© AFP 2016/ JUAN MABROMATA
Questionado se as negociações bilaterais crescentes de membros do Mercosul com outros países e o agravamento da crise por conta do imbróglio com a Venezuela, Saguas diz não acreditar que isso seja o fim do bloco.
“O próprio presidente Macris, que pretende que uma chanceler argentina assuma um posto de secretária na ONU, não está tão incisivo nesta tese. O Paraguai sozinho com o Brasil não será suficiente para obter sucesso. Não dá para jogar fora 25 anos de construção do Mercosul. Não é uma construção recente do governo Lula, do governo Dilma. Muitos avanços aconteceram na relação entre os países que compõem o bloco, e já estão avançadas as negociações com a União Europeia.”

http://br.sputniknews.com/brasil/20160815/6048919/mercosul-presidencia-rotatividade-venezuela-paraguai-argentina-brasil-diplomacia-pressoes-golpe.html

Comentários: