Brasília, 18 de janeiro de 2022 às 20:23
Selecione o Idioma:

Venezuela

Postado em 27/06/2017 5:41

Defensor do Povo denuncia que crimes de ódio por razões políticas avançam no país

.

Foto archivo Rosalia Barreto, AVN

Caracas AVN.- “Os delitos de ódio, como linchamentos, motivados por razões políticas avançam de forma perigosa e impunemente no país”, denunciou neste domingo (25) o Defensor do Povo, Tarek William Saab.

Perseguir procurando agredir com intenções de ferir ou matar um ser humano por sua postura ideológica é repugnante, escreveu Saab em sua conta no Twitter. Ele publicou vídeos na rede social que mostram como um grupo de pessoas, em atitude hostil e violenta, tentou agredir uma senhora que estava num shopping center.

“O que teria acontecido se a turba que perseguiu esta senhora no CCCT (Centro Ciudad Comercial Tamanaco) tivesse conseguido linchá-la? Aplaudir isto é execrável”, repudiou.

Segundo os comentários nas redes sociais, a mulher foi atacada após ter sido confundida com Marlene de Andrade, esposa do presidente do canal de televisão pública, Tves, Winston Vallenilla.

“O sistema de justiça tem em suas mãos deter este desprezível fenômeno que se continuar impunemente sería o prólogo de uma guerra civil”, alertou Saab.

Em outro vídeo também divulgado pelo Defensor, é possível ver ao lado da pessoa agredida, uma senhora explicando sua presença no lugar e condenando as ações. “Muito lamentável o que aconteceu hoje. Estamos lutando para mudar um país, onde exista a tolerância e possamos estar todos juntos os que pensamos distinto e fatos como este fazem muito dano. A senhora aqui presente é uma trabalhadora. Simplesmente estava resolvendo um problema pessoal e não merecia esta agressão”, explicou.

Desde abril, setores da oposição realizam múltiplos chamados para realizar ações nas ruas, que quase sempre terminam em focos de violência e vandalismo. O resultado: mais de 70 pessoas falecidas, mais de 1.300 ficaram feridas e milionários danos aos bens públicos e privados.

Comentários: