Brasília, 22 de julho de 2021 às 04:01
Selecione o Idioma:

Sem Titulo

Postado em 16/04/2018 3:18

Cúpula dos Povos condena cerco político dos EUA contra Venezuela

.

Caracas, 16 Abr. AVN

Os representantes das organizações sociais da América Latina e o Caribe, que se reuniram neste sábado no Peru, durante a realização da Cúpula dos Povos 2018, condenaram de forma enérgica o cerco político e a guerra econômica do governo dos Estados Unidos contra a Venezuela.

“Reafirmamos nossa inquebrantável solidariedade à Revolução Bolivariana da Venezuela. Condenamos energicamente a agresssão imperialista, a guerra econômica e o acosso político contra a Venezuela Bolivariana”, afirma a declaração final da reunião.

O documento oficial exige respeito ao povo venezuelano, que desde 1999 iniciou um processo constituinte liderado pelo comandante Chávez, de construção do socialismo e unidade regional.

“Nosso apoio para o presidente Nicolás Maduro, sucessor do projeto histórico impulsionado pelo comandante Chávez. Exigimos o fim das sanções ilegítimas e unilaterais contra o povo bolivariano; rechaçamos a pretensão de intervenção militar na Venezuela sob o pretexto da ajuda humanitária; exigimos a não ingerência nas próximas eleições de 20 de maio e o respeito à soberania e autodeterminação de nossos povos”, destaca o texto.

De igual forma, manifestaram solidariedade ao processo revolucionário que dirige Evo Morales na Bolívia, a Revolução Cubana que foi liderada por Fidel Castro, e outros exemplos na região.

“Manifestamos nossa inquebrantável solidariedade ao companheiro presidente Luiz Inacio Lula da Silva, que enfrenta hoje todo o aparelho de judicialização da política e o ódio das elites brasileiras, por ser o referente dos oprimidos e excluidos”, denunciam.

As organizações sociais alertaram que na região existe um cenário de confronto entre as forças progessistas da América Latina e o neoconservadorismo das elites entreguistas.

“Vivemos uma contraofensiva do poder imperial, que tenta apagar os avanços democráticos e de inclusão social e política que promoveram os governos progressistas nesta última década e meia”, explicaram.

Por isso, repudiaram a VIII Cúpula as Américas no Peru, como a expressão dos grupos entreguistas que tentam recuperar hegemonia.

Também fizeram um chamamento para enfrentar o ataque contra os trabalhadroes no contintente, e manifestaram repúdio às medidas neoliberais que visam reduzir os investimentos públicos.

Foto: @CubanitoenCuba

Comentários: