Brasília, 20 de maio de 2022 às 21:47
Selecione o Idioma:

Internacional

Postado em 04/11/2021 8:57

Coreia do Norte considera fortalecimento da autodefesa ‘escolha inevitável para prevenir guerra’

.

ÁSIA E OCEANIAURL curta

Sputnik – A chancelaria da Coreia do Norte afirma que o fortalecimento da capacidade de autodefesa é um direito reconhecido em termos de legislação internacional. Para provar sua posição, o ministério norte-coreano mencionou uma declaração da Rússia.

A Coreia do Norte considera as medidas para fortalecer suas capacidades de autodefesa uma “escolha inevitável” e um direito soberano destinado a prevenir uma guerra, declarou o Ministério das Relações Exteriores.

“O fortalecimento de nossa capacidade de autodefesa não visa nenhum Estado ou força em particular, mas é uma escolha inevitável para prevenir uma guerra e proteger a soberania, a dignidade do Estado e o direito do povo de existir e se desenvolver. Esse é um direito digno de um Estado soberano geralmente reconhecido em termos de legislação internacional”, segundo a chancelaria norte-coreana.

Para provar sua posição, a chancelaria mencionou uma declaração da Rússia. O ministério citou um comentário de um representante do Ministério das Relações Exteriores da Rússia sem identificar seu nome.

A representante oficial da chancelaria da Rússia, Maria Zakharova, à margem do Terceiro Fórum das Mulheres da Eurásia em 14 de outubro, e respondendo à pergunta de como a Rússia vê o direito de autodefesa da Coreia do Norte, disse que a posição russa “se baseia no direito internacional”.

Zakharova explicou que o artigo 51 da Carta das Nações Unidas “consagra o direito inalienável dos Estados-membros da Organização à autodefesa individual ou coletiva se forem submetidos a um ataque armado; esta disposição se aplica plenamente a todos os Estados-membros da ONU, incluindo a Coreia do Norte”.

“Tais declarações são uma avaliação correta do comportamento injusto e de duplo padrão dos EUA e do Ocidente, que infundadamente encontram defeitos em nossas medidas independentes para fortalecer as capacidades de defesa”, concluiu a chancelaria da Coreia do Norte.

Comentários: