14.5 C
Brasília
quinta-feira, 18 julho, 2024

Colômbia aos EUA: a reclamação de Petro sobre Gaza não é antissemita

O presidente da Colômbia, Gustavo Petro, exibe a bandeira palestina durante uma reunião com jovens palestinos na Colômbia, em 15 de dezembro de 2023.

HispanTV – A Colômbia rejeita o rótulo “anti-semita” que os EUA mais uma vez utilizaram para os comentários do Presidente Gustavo Petro sobre o conflito em Gaza.

A embaixada da Colômbia em Washington respondeu ao relatório do Departamento de Estado dos Estados Unidos sobre liberdade religiosa (ano 2023), no qual voltou a incluir críticas às declarações do presidente colombiano, Gustavo Petro, nas quais equipara os ataques de Israel contra os palestinos em Gaza com as ações dos nazistas na Segunda Guerra Mundial.

“ Denunciar o que está acontecendo na Palestina não é antissemitismo nem tem natureza religiosa, é simplesmente humanidade ”, diz o comunicado da embaixada colombiana publicado esta quinta-feira.

A legação colombiana sublinha que Petro e a sua Administração expressaram repetida e claramente a sua posição sobre o conflito entre Israel e a Palestina e especificamente sobre o que está a acontecer em Gaza.

Afirma que na guerra de Israel contra os palestinos de Gaza “os princípios de distinção, proporcionalidade e precaução que sustentam o direito humanitário internacional não foram respeitados” e “meninas, meninos, mulheres, trabalhadores humanitários, jornalistas e pessoal médico continuam a cair como vítimas .”

Recorde-se que a Colômbia, em vários casos, tem defendido o respeito do direito humanitário internacional e o cumprimento das resoluções das Nações Unidas (ONU), especialmente as emitidas pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU).

Da mesma forma, deixa claro que a posição do Governo colombiano em relação a Israel é dirigida exclusivamente às autoridades do regime sionista e não ao povo israelita ou às comunidades judaicas no mundo, especialmente aquelas instaladas no país sul-americano.

A embaixada salienta que a Colômbia continua a ser um firme defensor e promotor das liberdades religiosas. Além disso, destaca que a Constituição da Colômbia não só garante a liberdade religiosa e o direito de professar crenças, mas também proíbe todas as formas de discriminação com base na religião.

O presidente colombiano condenou repetidamente as brutais agressões israelitas contra Gaza, que deixaram pelo menos 37.765 palestinos mortos desde 7 de outubro. Numa medida de pressão , a Colômbia rompeu relações diplomáticas com o regime sionista em Maio devido ao genocídio em Gaza e apelou à acusação do primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu e dos seus camaradas por crimes de guerra.

O país andino também se tornou a primeira nação latino-americana a impor sanções a Israel, anunciando a suspensão das vendas de carvão ao regime sionista.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS