Brasília, 9 de junho de 2021 às 18:21
Selecione o Idioma:

Papo do Dia:

Sem Titulo

Postado em 07/05/2016 12:12

Cientistas negam mito da influência da Lua cheia sobre o comportamento humano

.

O estudo do sono e do comportamento de quase seis mil crianças de todos os continentes mostrou que a fase da Lua não tem qualquer impacto significativo sobre o nosso comportamento e sobre a qualidade do nosso sono.

O estudo foi publicado na revista Frontiers in Pediatrics.

“O folclore e, às vezes, até histórias contadas em ambiente médico indicam que as fases da Lua influenciam o modo como os problemas psíquicos de homens e animais se manifestam. Independentemente do grau de verdade destas afirmações, o mistério da Lua sempre nos interessou ao longo de séculos”, disse Jean-Philippe Chaput do Instituto de Pesquisa de Ontário de Leste, em Ottawa (Canadá).

Chaput e os seus colegas decidiram esclarecer este mistério, observando a forma como o organismo de 5812 crianças de diferentes idades, raças, de famílias pertencentes a diferentes estratos sociais e com diferentes níveis de educação e de renda, reagiu ao plenilúnio, à Lua nova e à mudança das fases lunares.Como explica Chaput, a equipe escolheu as crianças como alvo do estudo porque estas são muito mais propensas a drásticas mudanças de estados de espírito, e também porque elas precisam muito mais de sono, nelas a falta de sono influencia bastante mais o seu bem-estar e humor.

No total, os cientistas observaram o comportamento das crianças durante 28 meses, o que lhes proporcionou um conjunto completo de dados sobre como a mudança de fases da Lua pode afetar o seu humor e o sono. A análise deu um resultado previsível — além de uma pequena redução na duração do sono (por 5 minutos, ou 1%) durante a Lua cheia, a Lua não afetou de modo nenhum o comportamento ou humor das crianças.”Os nossos resultados são o argumento mais evidente de que a Lua não afeta o comportamento de uma pessoa. A única mudança é esse 1% na duração de sono, mas pode ser explicado pelo fato de que no nosso estudo participou muita gente. Em geral, eu acho que não devemos nos preocupar com a Lua cheia e com transformação em “lobisomens”. O nosso comportamento é em maior medida afetado pelos genes, educação, nível de renda e outros aspetos sociais, e não pelas interações entre a Terra e o seu satélite”, conclui Chaput.

Leia mais: http://br.sputniknews.com/ciencia_tecnologia/20160507/4481620/ciencia-lua-comportamento.html#ixzz47z09Ebh0

Comentários: