19.5 C
Brasília
domingo, 14 julho, 2024

Argélia e China aspiram a uma parceria estratégica abrangente

ARGEL – (APS) O Ministro dos Mujahideen e Titulares de Direitos, Laïd Rebiga, e o Ministro dos Assuntos dos Veteranos da República Popular da China, Pei Jinjia, sublinharam, sábado em Argel, a “profundidade” das relações argelino-chinesas, destacando a desejo dos dois países de construir “uma parceria estratégica abrangente e mutuamente benéfica”.

Durante a reunião na sede do ministério, MM. Rebiga e Jinjia destacaram os esforços do Presidente da República, Abdelmadjid Tebboune, e do seu homólogo chinês, Xi Jinping, a favor de “uma parceria estratégica abrangente” entre a Argélia e a China, lembrando que os dois países estavam ligados por ” relações históricas fortes e sólidas”.

Rebiga indicou que a visita do Ministro Chinês dos Assuntos dos Veteranos permitiu à delegação chinesa “aprender sobre o trabalho do sector Mujahideen, particularmente em termos de cuidar dos Mujahideen e dos Titulares de Direitos e preservar a memória nacional, a história nacional e os arquivos”.

Os dois países podem concretizar uma parceria para a troca de experiências no domínio dos estudos científicos e académicos, da memória histórica, da saúde e da assistência social dos Mujahideen e da troca de fotos e documentos históricos, disse.

O ministro considerou que os Mujahideen eram “o melhor elo entre os povos argelino e chinês”, referindo-se aos pilotos Mujahideen, presentes no encontro, que foram treinados pela República Popular da China durante a guerra de libertação e que tiveram a honra de fundando as forças aéreas argelinas.

Por seu lado, o ministro chinês saudou as relações fraternas entre o seu país e a Argélia, sublinhando que a cooperação entre os dois países “está a progredir bem no sentido do estabelecimento de uma parceria estratégica sob a liderança dos presidentes de ambos os países”.

“Temos confiança no desejo dos dois presidentes de reforçar a cooperação nos domínios político, económico e tecnológico”, continuou Jinjia, saudando os esforços dos dois países amigos “em favor da paz mundial”.

O responsável chinês também saudou o “grande” interesse da Argélia nos Mujahideen e nos detentores de direitos, apelando ao desenvolvimento da cooperação entre o seu departamento e o Ministério dos Mujahideen através do intercâmbio de conhecimentos, especialmente em termos de cuidados aos Mujahideen e aos veteranos.

Nesta ocasião, o ministro chinês visitou departamentos do Ministério dos Mujahideen, em particular o da cartografia nacional e dos arquivos relativos aos Mujahideen e Chouhada, que constituem, segundo o Sr. Rebiga, “um verdadeiro tesouro e a memória dos argelinos”.

Os dois ministros também plantaram uma árvore da amizade argelino-chinesa na sede do ministério, um símbolo das “relações de amizade e fraternidade que ligam os povos argelino e chinês”.

Refira-se que o ministro chinês e a delegação que o acompanha já visitaram anteriormente o Centro Nacional de Estudos e Pesquisas sobre a Resistência Popular, o Movimento Nacional e a Revolução de 1 de Novembro de 1954.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS