Brasília, 22 de outubro de 2021 às 15:56
Selecione o Idioma:

Sem Titulo

Postado em 01/12/2015 9:48

Acordo entre países pode diminuir as dezenas de milhares de mortes pela mudança climática

.

Adital

A mudança climática causa dezenas de milhares de mortes a cada ano, por razões que vão desde as mudanças nos padrões das enfermidades, até os fenômenos meteorológicos extremos, como as ondas de calor e as inundações. Bem como a degradação da qualidade do ar, do saneamento e dos abastecimentos de água e alimentos. Assim adverte a Organização Mundial da Saúde (OMS), por ocasião da realização, em Paris [França], da Conferência da ONU [Organização das Nações Unidas] sobre a Mudança Climática (COP21).

A OMS estima que só em 2012 cerca de 7 milhões de pessoas morreram por enfermidades relacionadas com a contaminação do ar, e prevê que durante o período 2030-2050, a mudança climática causará 250.000 mortes adicionais a cada ano, por doenças associadas aos seus efeitos ambientais. Também assinala que as crianças e as mulheres dos países mais pobres serão os mais afetados.

A OMS ressalta ademais que a Conferência de Paris oferece uma oportunidade especial para a comunidade sanitária internacional para fazer-se sentir e exigir dos países a adoção de compromissos audazes para proteger o Planeta e resguardar a saúde das atuais e futuras gerações.

María Neira, diretora do Departamento de Saúde Pública da OMS, considera que o acordo que se alcance na capital francesa terá um grande impacto. “Se não se reduzirem as emissões de gases de efeito estufa, haverá um impacto muito negativo sobre a nossa saúde, já seja por enfermidades transmitidas por vetores como a malária, pelas doenças diarreicas ou bem pelas migrações forçadas por causa da falta de produção de alimentos e má nutrição”, explica.

Comentários: