17.5 C
Brasília
quarta-feira, 24 julho, 2024

Acham na Venezuela arte rupestre de 4.000 anos de uma civilização anteriormente desconhecida

Sputnik – Uma equipe arqueológica descobriu na Venezuela 20 antigos sítios de arte rupestre no Parque Nacional de Canaima, na parte sudeste do país. O achado consiste em pictogramas e petróglifos estimados em cerca de 4.000 anos.

Essa descoberta revela uma cultura anteriormente desconhecida, embora exemplos de arte rupestre semelhante tenham sido encontrados em outros lugares da América do Sul, escreve Arkeonews.

A arte rupestre recém-descoberta, referida como pictogramas, foi pintada em vermelho e exibe formas geométricas como linhas pontilhadas, linhas em X, padrões em forma de estrela e linhas retas interconectadas. Além disso, há representações simples de folhas e desenhos de figuras de pessoas.

Alguns desenhos conhecidos como petróglifos, foram talhados na rocha e exibem representações geométricas semelhantes.
Essas pinturas lembram outros exemplos de arte rupestre da América do Sul, como os do Brasil, Colômbia e Guiana, mas também mostram a ascensão de um grupo cultural ímpar desconhecido anteriormente.
Pictogramas e petróglifos retratando linhas e formas abstratas oferecem um raro vislumbrante da cultura de pessoas que viveram na América do Sul há milhares de anos.
Arqueólogo e pesquisador da Universidade Simón Bolívar, José Miguel Pérez-Gómez disse ao jornal Daily Mail que estudos anteriores não encontraram sinais de atividade humana na região, sugerindo que a arte foi feita por uma civilização previamente desconhecida.

O propósito destes desenhos permanece incerto. As várias representações podem ser associadas a tópicos como nascimento, doença, revitalização da natureza ou caça ética. Assim como as igrejas têm grande significado para as pessoas hoje em dia, os locais onde a arte rupestre era feita provavelmente tinham grande significado para o ambiente circundante.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS