Brasília, 3 de dezembro de 2021 às 12:05
Selecione o Idioma:

Peru

Postado em 30/07/2018 10:56

Abalado por corrupção de juízes, Peru fará plebiscitos sobre reformas

.

© AP Photo / Karel Navarro

O presidente do Peru, Martín Vizcarra, anunciou neste sábado (28) uma série de referendos para legitimar a reforma da Justiça, após o escândalo causado pela divulgação de áudios que revelam a negociação de sentenças por juízes.

“O sistema de administração de justiça entrou em colapso”, disse Vizcarra durante evento do Dia da Independência do Peru. “Vamos abrir um processo de referendo para a reforma judicial.”

Vizcarra, engenheiro de formação, assumiu o cargo há quatro meses, depois que seu antecessor de centro-direita, Pedro Pablo Kuczynski, renunciou em meio a um turbilhão de denúncias de corrupção.

O presidente disse que os peruanos também votariam em mudanças constitucionais para estabelecer limites de mandato para os legisladores e o restabelecimento de um Congresso bicameral.

“Com essas medidas, reduziremos significativamente a corrupção na administração da justiça”, disse Vizcarra. “Chega de perdão em troca de dinheiro.”

Analistas, contudo, enxergam com ceticismo as propostas reformistas do novo presidente já que ele não tem uma forte base de apoio no Congresso, que é dominado pelo partido de oposição de extrema-direita de Keiko Fujimori, filha do ex-ditador Alberto Fujimori.

O Judiciário do país está envolvido em escândalos desde que o site investigativo IDL-Reporteros divulgou no início deste mês mais de 20 fitas, nas quais vários juízes parecem discutir a venda de sentenças.O escândalo levou à renúncia do presidente da Suprema Corte, Duberli Rodriguez, do ministro da Justiça Salvador Heresi e de Orlando Velasquez, chefe do Conselho Nacional da Magistratura, que nomeia juízes e promotores.

Comentários: