Brasília, 27 de novembro de 2021 às 13:17
Selecione o Idioma:

Papo do Dia

Postado em 19/10/2020 10:21

A VERDADEIRA “AMEAÇA EXISTENCIAL” É MANTER A SITUAÇÃO EXISTENTE

.

Mísseis com ogivas nucleares

por Caitlin Johnstone [*]

A guerra é um assassínio em massa. Denunciá-lo é mais importante que o conforto emocional de todos. Vale a pena perturbar os jantares de família. Vale a pena arriscar amizades. A história não será meiga com aqueles que escolheram a cumplicidade do silêncio ao invés do anti-imperialismo.

Ainda me surpreende que um aliado do império dos Estados Unidos cometa a pior atrocidade em massa do mundo atual – no Iémen – com a ajuda dos EUA e isso ocupe praticamente zero da atenção do público. Porém, depois de realmente se entender o seu significado, é impossível abandona-lo.

Um órgão de informação que não informa constantemente o seu público sobre todas as irregularidades que o seu governo pratica no mundo não é um órgão de informação. Se se achar que os media corporativos são patéticos sob Trump, espere-se até vê-los interromper a cobertura crítica ao governo e simplesmente passarem a falar sobre a elevada classe de Kamala Harris na sua última toilette.

Querer um candidato à presidência dos Estados Unidos que não tenha facilitado ativamente a invasão do Iraque não é uma exigência irracional, é o padrão mínimo absoluto para liderar o exército mais poderoso da história da civilização.

“Oh, mas a maioria das pessoas no Capitólio apoiou a guerra no Iraque”.

Sim, também eles não deveriam ser presidentes. Nem deveriam estar na política. Eles não deveriam ser capazes de encontrar um emprego remunerado mais influente do que o de caixeiro. Como é que isto não é evidente?

“Nós vamos forçar Biden a fazer mudanças progressistas!”

Não, não vão. Não vão obrigar Biden a fazer nada. Não são suficientemente numerosos. Assim que Trump se for, todas as críticas dos media ao presidente dos EUA cessarão e toda a oposição liberal de base os seguirá. Votem como quiserem, mas não tenham ilusões.

Trump não é uma ameaça existencial, a situação existente, o status quo, é que é uma ameaça existencial. Trump é apenas a face repugnante da situação existente. Acreditar que se pode resolver a ameaça existencial despedindo Trump é como acreditar que se pode corrigir um negócio corrupto despedindo uma das secretárias.

Imagine que o seu carro é empurrado de uma ponte e cai num rio. Duas pessoas nadam na sua direção. Uma diz-lhe: vá-se lixar, afogue-se; a outra diz-lhe que o vai tirar de lá em fases sucessivas até 2060. Você continua a pedir-lhe ajuda ou procura outras maneiras de sair dali?

O ecossistema morre porque é muito mais lucrativo destruí-lo do que preservá-lo. O capitalismo não oferece solução para este problema, apenas um agravamento. Não o podemos praticar para sobreviver. É por isso que os capitalistas puros fingem que nada aconteceu.

Dizer “Não é o capitalismo que é o problema, é apenas o sistema em que empresas funcionam como elemento de governação!” É como dizer “Não é o tabagismo que é o problema, é o enfisema pulmonar!”

O Covid está a ser usado para canalizar riqueza e poder para uma classe plutocrática que nunca deixa de explorar qualquer oportunidade para consolidar a riqueza e o poder – e isto vai continuar. O capitalismo vai continuar a tornar-se mais corrupto e injusto até que as pessoas se livrem dele. Não é uma falha no comportamento, é uma característica.

“Este ditador está a matar seu próprio povo!” diz o império, que constantemente mata o seu próprio povo.

O programa para levar a China até à Idade da Pedra está planeado há muitos anos e será implementado independentemente de quem vencer as eleições nos Estados Unidos. A ideia idiota de que há algo populista ou contra o sistema acerca da oposição à China será cada vez mais difícil de defender.

Podem dizer-me: “Você acha que a Rússia é perfeita e apenas os Estados Unidos estão fazendo algo errado”.

Não, eu apenas aprendi algo melhor do que aceitar as alegações infundadas das agências governamentais dos EUA com a fé cega de um idiota chapado.

A esquerda está tão, tão, tão distante de seus objetivos na nossa sociedade que discutir sobre que tendência específica à esquerda funcionaria melhor é como discutir sobre quantos anjos podem dançar na cabeça de um alfinete.

O meu ódio particular pelo imperialismo dos EUA manifestou-se realmente quando escapei de um relacionamento abusivo que funcionava da mesma maneira: criando a simpática ilusão de liberdade e igualdade enquanto secretamente usava a manipulação para explorar, oprimir e sufocar a vida em mim.

Um abusador estúpido domina como uma típica ditadura tirânica. Um abusador inteligente domina como o Império Americano: usa a manipulação para dar a impressão de parecer justo, como se a vítima tivesse escolhido a sua situação por livre vontade, enquanto sufoca e desiste de pedaços de si própria para fazer as coisas de acordo com a vontade do agressor.

É inútil e hipócrita condenar a insanidade da nossa sociedade se não se vive uma vida dedicada a superar esta indesejável situação, assumindo a sua própria parcela de responsabilidade pessoal na loucura coletiva.

A ilusão é que a felicidade é algo separado de cada um, sendo necessário prosseguir um enorme trabalho para a alcançar. Na realidade, a felicidade sempre esteve ao nosso alcance, mas as pessoas dedicaram toda a sua vida e esforços tremendos para não darem por isso.

[*] Autora de Rogue Nation: Psychonautical Adventures With Caitlin Johnstone e de Woke: A Field Guide for Utopia Preppers. Pode ser contatada no seu sítio web e em Substack .

O original encontra-se em caitlinjohnstone.com/

Este artigo encontra-se em https://resistir.info

Comentários: