Brasília, 20 de janeiro de 2022 às 05:35
Selecione o Idioma:

Cultura

Postado em 24/09/2019 8:26

A revolta dos assanhos nada primaveris do jornalista José de Jesus Barreto

.

 

 

ASSANHOS NADA PRIMAVERÍS

                                                                     Zédejesusbarreto

 

O Brasil quer motivos para gostar do Brasil

*

– O nome da vez é Ágatha, uma garota de 8 anos. A sexta que morre atingida por bala no Rio de Janeiro, este ano. Bala perdida, conflito com traficantes do Complexo do Alemão, imperícia policial? A família e o motorista da Kombi onde Ágatha estava acusam a polícia, alegam que não houve troca de tiros e as esquerdas culpam a política truculenta do governador carioca, “um assassino”.

Ele, de careca lustrosa, cercado por seus assessores de segurança, foi pra tevê defender sua política de confronto/extermínio e condenar o uso politiqueiro da tragédia.  Ágatha seria a bandeira do momento para confrontar o governo e os métodos da direita, em nível estadual e nacional.  Lágrimas !

Já foi Marielle, já foi Moa … Zezinhos e Mariazinhas anônimas…   É a guerra ideológica em curso, a batalha da comunicação, um vale tudo sem fim. Dolores !

– Só para ilustrar a zona no Rio, 46 policiais já foram assassinados este ano. Em combate ou na tocaia. Faz tempo o caos tomou conta da ‘Cidade Maravilhosa’ e arredores; comandos &  milícias & policias a mando ou mancomunados com engravatados de todos os naipes, acobertados por togados se arregaçam, cotidianamente. Tá na globo. Sobra o clima de pavor para o cidadão. A criançada vai no rebolo. Tá funk !

– Outra barbaridade foi o assassinato de um padre, já idoso, depois da missa celebrada, em Brasília, fim de semana. Apanhado na sacristia pelos bandidos. Teria sido latrocínio. O vigário foi estupidamente espancado e enforcado com fios de arame farpado. Tá punk !

*

– As cadeias, penitenciárias, detenções, presídios do país, de norte a sul, estão superlotados, bomba chiando, sempre prestes a explodir.

– Pior, desses crimes todos – balas perdidas, tiroteios, execuções, crianças e policiais e padres…  –  menos de 10% são realmente apurados e menos de 2% são solucionados.

Drogas, armas, poder, corrupção, impunidades …  Tem jeito?

*

O clima na ONU

– Nas Nações Unidas, EUA, onde o estropiado presidente discursa, o assunto predominante é o descontrole apocalíptico do clima no planeta e, na fita, a nossa Amazônia, com seus focos de fogo e de cobiça.

– “Nosso futuro está ameaçado”, brada a garota sueca Greta Tumberg, 16 anos, em defesa do planeta terra, nossa morada temporã, e da Mãe-Natureza lentamente assassinada pelos patrões do chamado ‘progresso’. Gerar riquezas, então,  justifica chaminés, descargas, desmatamentos, queimadas, pesticidas, plásticos  e dejetos nos mares, águas doces e nascentes envenenadas, guerras, matanças, migranças …

A avidez vem de longas datas, dos tempos imperiais, coloniais.  Pergunto: –  Dá pra parar, dará tempo de mudar o mundo para tentar salvá-lo?  Haverá amanhã ? A voz de Greta é um fio de esperança.

*

  A Amazônia grita   

Tá, “a Amazônia é nossa”, quase a metade do Brasil. Mas, para defendê-la precisamos conhecê-la. O Brasil precisa conhecer a Amazônia. De verdade.

– Suas águas, correntes e igarapés. Tem água doce pra abastecer o mundo. Vamos poluir, jogar esgotos, envenenar com o minério, as indústrias? Suas florestas – árvores, troncos, frutos, sementes, folhas… serventias. Os bichos, quantos? Os que voam, os que nadam, os que rastejam, os que trepam, os que picam… Nada é inútil, os nativos sabem.  E as chuvas, o abafamento, as vazantes e enchentes. Ah, o subsolo, os minérios … o que se esconde e está oculto.

Dizem que os gringos já estão com tudo isso mapeado, olho gordo. E já usufruem muito, roubando, pesquisando, prospectando, comprando, trapaceando, catequisando, mamando, contrabandeando e fincando bandeiras. Tem europeu,  norte-americano, asiático… usuras.

–  Você sabia que há uma vastidão de variedade de corais na foz do Amazonas e que nessa mesma área já descobriram um manancial de petróleo (mais de 14 bilhões de barris)?  A exploração dos poços é uma meta, ora vejam ! Imaginem a desgraceira dragas, sondas, vazamentos, navios petroleiros, ambições …

– E a séria questão das imensas e abandonadas fronteiras, os invasores, o tráfico de droga e armas, a disputa pelo controle da área, as tribos indígenas (algumas ainda na idade da pedra), aldeias, comunidades, reservas, culturas, necessidades, quereres … E mais ONGS, Igrejas, seitas, ‘estudiosos’, mafiosos, multinacionais, governos, madeireiras e mineradoras. Muitos interesses em jogo.

–  É como se, de repente, uma Amazônia mastodôntica caísse inteira no colo do Brasil. Aos prantos.

– Pois é, se é nosso patrimônio histórico temos de saber, de cuidar, proteger, preservar, tomar conta. Sem bravatas, com ações. Há condições?

Qual o projeto que nossas ‘elites’ (políticas, militares, acadêmicas, endinheiradas, ‘patrióticas’) têm para a Amazônia?

Ou vamos deixar à mercê, como tem sido faz tempo? Choramingar e xingar e politicar de nada adianta.

 

**

Soberanos somos?

Que agá é esse?    Soberania, soberania, soberania !

Suseranos & vassalos, senhores & escravos, os que ordenam e os que cumprem.

Soberania o quê, pra quê, por quê, pra quem, aonde ?

*

Viva o Povo Brasileiro ! Um mote pra  gente querer gostar do Brasil

 

**

Zedejesusbarreto   – escrevinhador, ex-jornalista.

 

23set2019  

 

      

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários: