Brasília, 18 de janeiro de 2022 às 13:32
Selecione o Idioma:

Brasil

Postado em 13/04/2018 4:28

A Globo sobrevoa o STF

.

André Araújo/JornalGGN

A audácia das organizações GLOBO em pretender pautar o Supremo Tribunal Federal é um fato extraordinário e que merece registro histórico. Não aconteceu antes na longa trajetória do Tribunal e simplesmente não acontece nos tribunais supremos das grandes democracias.

Os comentaristas da GLOBO, funcionando como uma orquestra sob a batuta de Merval Pereira, o diretor da orquestra esta acima dele, se reportam continuamente a “fontes” citadas com Ministros do STF que fazem confidências aos jornalistas em off e dai os porta vozes da Globo cantam o enredo das próximas sessões e decisões. Dizem o que vai acontecer e porque, qual o arrazoado de cada voto e resultado, qual a orientação de cada turma, o porque da tendência deste ou daquela jurisprudência, é muita informação de onde não deveria sair.

Parece impressionante a falta de percepção do próprio Tribunal a essa danosa orquestração que mina o prestigio essencial de uma Alta Corte de um grande País. A infiltração do Sistema GLOBO nos corredores do Tribunal é puro veneno que vai minando a autoridade essencial ao funcionamento dessa Instituição, cúpula do Poder Judiciário. É diário o uso de veiculações “informação de que tivemos acesso com exclusividade” ou “um Ministro nos informou em off’”. Tampouco é admissível continuas entrevistas de membros da Corte ao Sistema Globo dentro ou fora do Tribunal. O jornalista Roberto D’Ávila entrevistou individualmente Ministros da corte em cenário domiciliar, algo fora de propósito para quem tem esse cargo.

Ministros de Alta Corte precisam ser inatingíveis para proteger seus imensos poderes, não podem ser “estrelas” de exibição, é algo simples de entender mas parece que a ficha não cai.

O sistema GLOBO, especialmente a GLOBONEWS, está banalizando o Tribunal, transformado em um circo ou um teatrinho envolto por fofocas e deslumbramentos, como se seus integrantes fossem artistas do “cast” da Globo, sempre disponíveis para um “photoshop”.

A ousadia com que Merval diz como o Tribunal vai votar é algo inédito na história das Supremas Cortes. Quem é ele para ter tantas informações e tanta influência?

A repórter Andrea Sadi parece que tem acesso privativo na Corte, se infiltra em qualquer Gabinete demonstrando intimidade, não há sequer o rito protocolar que se espera da vetustez do Tribunal que deve manter respeitosa distância de repórteres e informantes.

Há Ministros no topo que parecem deslumbrados com exposição à mídia e à GLOBO, velha matreira nos bastidores do Poder, se aproveita dessa fraqueza para mercantilizar seu acesso “vendendo” posição de influencia nas decisões, como se ela atuasse no Tribunal.

A troupe da GLOBONEWS não é uniforme apesar de operar em coro.

MERVAL PEREIRA – O oráculo, com um ar de tédio cansado parece um personagem de conto de Lima Barreto com seu bigode estilo Confeitaria Colombo. Pontifica através de bolas levantadas por seu alter ego, Carlos Sardenberg. Sua expressão mais conhecida é “Isto é um absurdo”, quer dizer, é absurdo tudo aquilo que lhe desagrada.

CRISTIANA LOBO – A veterana comentarista vai bem até três minutos, depois não tem mais assunto, seu capital é a longa acumulação de informações após três décadas de telinha, fora isso não tem nenhuma análise nos seus comentários, só informações, tem arquivo, mas falta ciência politica e elaboração mais sofisticada dos porquês das coisas.

ELIANE CATANHEDE – Uma cronista social do Planalto profundidade de um pires de cafezinho,  reporta o que ouviu atrás da porta, tipo perua de cabeleireiro,  seus comentários são uma compilação de fofocas sem contextualização, sem embasamento histórico ou ideológico,  sem explicar causas e efeitos, tudo parece “fait divers”, estilo de comentarista de cinema, rádio e tv, quem está subindo e quem está descendo, tudo muito frívolo.

CARLOS ALBERTO SARDENBERG – Aparência de farmacêutico de interior, comportadíssimo, fiel escudeiro de Merval, fez duras criticas ao discurso de Lula antes de ser preso, pretendia um Lula bem comportado como ele, esquecendo que se Lula  fosse “sim senhor”  jamais teria sido Presidente da República. Sardenberg não dá um pio fora do script, não há qualquer análise de contraponto, a verdade do mundo é aquela que Merval acha que é.

WALDO CRUZ – Mineirinho com perfil de contador aposentado da Zona da Mata, mais comportado ainda do que Sardenberg, para ele a justeza da condenação de Lula é que 15 juízes julgaram e condenaram Lula, raciocínio que ele parece achar portentoso. Se número de juízes fosse critério o Capitão Alfred Dreyfuss, condenado por erro de pessoa em dois julgamentos de tribunais plenos estaria com os ossos até hoje na Ilha do Diabo na Guiana Francesa onde cumpriu pena sendo outro o culpado, o mais célebre caso de abuso judiciário do Século XIX. Afirmação mais medíocre que essa nunca se viu, o número de juízes da mesma engrenagem torna a sentença irrefutável, essa é uma nova teoria do direito que o mundo precisa conhecer, poderia também dizer que qualquer atrocidade se valida pelo número de assinaturas apostas na ordem de comando.

GERSON CAMAROTTI – O “papa hóstia” Camarotti diz “isso dai” duas vezes em cada frase, um péssimo vicio de linguagem incompatível com um jornalista, tem postura de super bem comportado e fica chocado com tanta corrupção da classe politica, mas não se choca com outras sangrias de recursos públicos em outras áreas, sempre espantado com malfeitos, nem parece que circula pelo Congresso e Planalto por muito tempo. O noviço que caiu em um lupanar, sempre chocado com tanta coisa feia, é o cherubim dos noticiários globais.

RENATA LO PRETE – Excelente jornalista que parece em camisa de força na Globo, não fala tudo o que pensa e o que pensa é muito mais do que fala, Lo Prete sabe o valor do contraponto, da inteligência de ver a mesma questão de vários ângulos mas na Globo isso é pecado capital, existe a linha que interessa à Globo e quem dela sai vai para a rua.

NATUZA NERY – Outra excelente jornalista que não fala tudo o que sabe, consegue ver mais que um lado, mas na GLOBO tem que entrar na linha e seguir o script da Casa. É uma pena porque é muito inteligente e mais atilada do que se vê como já demonstrou em outros veículos.

MANHATTAN CONNECTION – A visão vira lata sobre o Brasil, destaque para um apátrida fascistóide cuja ária principal é desprezar o Brasil, especialmente a classe politica corrupta, logo quem vive em um País cujo eixo da politica circula em torno de um trapaceiro pornográfico que é o pior que a história politica pode apresentar em qualquer País.

Vivendo em um País cuja estrutura politica foi destruída por uma cruzada moralista o fascistóide pretende a mesma coisa para o Brasil, quer acabar com a politica brasileira, mas não tem nada a propor para o “day after”. Teve orgasmos com a prisão de Lula.

O programa de debates PAINEL é a essência dessa linha. São convidados debatedores que concordam em quase tudo salvo pequenas diferenças de detalhes. Em um Pais hoje mais dividido do que nunca, PAINEL prefere a pasteurização de ideias, mornas e filtradas, um verdadeiro e educado chá das cinco. Quem quiser ver debates “luta livre” passe para a TV americana, espanhola, francesa, italiana ou portuguesa, onde há discussões verdadeiras.

A GLOBO tem longuíssima trajetória no projeto de influenciar governos e situações politicas.

A cobertura das crises de agosto de 1954, que levou Getúlio ao suicídio, a de agosto de 1961, com a renúncia de Jânio, a de março de 1964, com a queda de Jango, a eleição de Collor e a manipulação do quadro eleitoral que levou à sua eleição, em todos esses contextos o sistema GLOBO tentou influir e manejar a informação para atender seus objetivos como organização politica muito além de uma simples empresa jornalística.

Vai jogar toda sua força nas eleições de 2018, é esperar para ver.

Comentários: