Brasília, 14 de maio de 2022 às 01:23
Selecione o Idioma:

Sem Titulo

Postado em 04/09/2017 5:45

Venezuela rechaça intromissão da França, Espanha e Chile nos assuntos internos

.

Foto archivo Fausto Torrealba, AVN

Caracas, 04 Sep. AVN.- O ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, em nome da República Bolivariana da Venezuela, manifestou seu rechaço categórico às novas intromissões dos governos da França, Espanha e Chile contra as instituições do Estado, que atentam contra os princípios do Direito Internacional.

Os presidentes da França, Emmanuel Macron, e da Espanha, Mariano Rajoy, recentemente fizeram declarações contra o funcionamento legítimo das instituições da Venezuela em relação ao caso da porta-voz da direita, Lilian Tintori, envolvida no caso de apreensão de mais de 205 milhões de bolívares no dia 30 de agosto, encontrados em um carro de propriedade de sua família.

Já o chanceler do Chile, Heraldo Muñoz, atacou o processo de diálogo, sugerindo saídas não pacíficas.

O chanceler Arreaza exigiu respeito à democracia e ao funcionamento da institucionalidade do Estado venezuelano.

“Em relação à senhora Lilian Tintori, segue um processo judicial por delitos graves, públicos, notórios, comunicacionais e confessos. No nosso país toda organização política deve prestar contas sobre as origens de seus fundos. Não há partidos nem figuras intocáveis”, destacou neste sábado Arreaza, em resposta às declarações do presidente Rajoy.

Ao governo francês exigiu também “que respeite o funcionamento de nossas instituições. Tomara que retomem o apoio ao diálogo, não à corrupção”.

Arreaza considerou desrespeitosas as palavras do chanceler chileno sobre as decisões soberanas da pátria bolivariana, e instou a “respeitar o funcionamento de nossas instituições e não obstaculizar o processo de diálogo nacional”.

Comentários: