Brasília, 29 de junho de 2022 às 12:52
Selecione o Idioma:

Nicarágua

Postado em 14/02/2022 11:28

Universidade Indígena da Nicarágua começará no próximo março

.

Manágua (Prensa Latina) O programa acadêmico da primeira Universidade Indígena de Agricultura e Pecuária, com estudantes dos povos indígenas da costa sul caribenha da Nicarágua, começará em março próximo, confirmaram hoje as autoridades dessa instituição.

De acordo com o reitor do centro de ensino superior, Alberto Sediles, os alunos ingressarão na carreira de Técnico Superior Agrícola e terão aulas de duas semanas a cada 45 dias, como parte de um dos projetos da Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN). governo para erradicar a pobreza.

Projetada no coração dos territórios ancestrais em Tiktikkaanu, ao norte de Bluefields, a entidade de ensino superior terá entre seus alunos uma representação das diferentes etnias: 10 crioulos, igual número de misquitos e mestiços, sete ulwas, três garífunas e 20 galhos.

De acordo com informações divulgadas pelo Conselho Nacional de Universidades e pela Universidade Nacional Agrária, esta nova iniciativa responde à vontade do presidente Daniel Ortega e da vice-presidente Rosario Murillo, voltada para a alfabetização e formação das comunidades daquela área do país.

O espaço de formação, construído com materiais locais como madeira, palmeira e bambu para evitar a intempérie do salitre do mar, receberá os jovens durante encontros mensais em Tiktikkaanu, com planos de estudos acadêmicos elaborados, entre outros, pelos professores Ramona Rodríguez e Alberto Sediles.

As autoridades afirmaram que o objetivo deste projeto educativo é o desenvolvimento econômico da região, desde o cultivo de artigos significativos como o coco, amêndoa e chocolate, a produção de óleo e cacau e a promoção de outras atividades como a pecuária.

A universidade do campo é um dos programas emblemáticos desde 2012, com cerca de 10 carreiras, entre desenvolvimento rural sustentável, agroecologia e economia rural, além de outros planos como a Campanha Nacional de Alfabetização de Adultos com o método cubano Yo Sí may l .

Comentários: