Brasília, 11 de agosto de 2022 às 01:20
Selecione o Idioma:

Nossa América

Postado em 29/06/2022 10:33

Sobem para 51 migrantes mortos no Texas e México investiga a tragédia

.

Cidade do México, 29 jun (Prensa Latina) Os migrantes mortos em um trailer no Texas, Estados Unidos, totalizam hoje 51 e há três hospitalizados para atendimento, confirmou a Procuradoria Geral do México (FGR, por sua sigla em espanhol), que acrescentou que está investigando a tragédia.

A decisão se deve, em parte, ao fato de que os migrantes partiram de Chiapas, no México, e que dois dos suspeitos de tráfico de seres humanos detidos são mexicanos, disse ele.

O evento ocorreu em San Antonio, Texas, no dia 27 e entre as vítimas já estão confirmados 22 cidadãos mexicanos.

Marcelo Ebrard, secretário de Relações Exteriores, informou hoje que a FGR abriu uma investigação em coordenação com o Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos. Outras fontes indicaram que agentes do Ministério Público já partiram para o país vizinho com esse propósito.

O ministro das Relações Exteriores informou que os cidadãos sobreviventes estão sendo tratados no Texas Vista Medical Center e estão desidratados, enquanto seu escritório colabora na extradição dos restos mortais das vítimas fatais para entregá-los às suas famílias.

Esta é a tragédia do gênero com o maior número de mortes durante uma operação de contrabando de migrantes do México, já que não é a primeira vez que algo assim acontece, embora não tão massivamente como esta no Texas.

Entre os que ainda estão internados devido ao calor, asfixia e morte, há quatro crianças, embora a sua nacionalidade seja reservada. Os mortos quando o caminhão foi aberto eram 46 e os outros morreram pouco depois, sem que os médicos pudessem reanimá-los a qualquer momento.

Há 21 corpos cuja nacionalidade não foi verificada ou pelo menos não foi revelada até agora, admitiu Roberto Velasco, chefe da Unidade Norte-Americana do Ministério das Relações Exteriores do México. Dos identificados, além dos mexicanos, há sete guatemaltecos e dois hondurenhos.

A pressão migratória é muito forte e crescerá se a crise econômica mundial continuar e as grandes potências não contribuírem com políticas mais humanas para uma melhor redistribuição de riqueza e aumento de oportunidades de emprego e renda para as grandes massas que buscam sobreviver, indicou legisladores mexicanos.

O Senado fez um apelo às autoridades do México e dos Estados Unidos para investigar e punir a morte dos migrantes, e seus diretores, Olga Sánchez Cordero e o Conselho de Coordenação Política, Ricardo Monreal, concordaram que esta tragédia não deve ficar impune.

Comentários: