Brasília, 30 de novembro de 2021 às 15:26
Selecione o Idioma:

Internacional

Postado em 08/07/2021 8:14

Retirando tropas, EUA estão reconhecendo fracasso de sua campanha no Afeganistão, diz Lavrov

.

DEFESA

Sputnik – A retirada das tropas dos EUA do Afeganistão é na prática a admissão do fracasso de sua campanha nesse país, disse nesta quinta-feira (8) Sergei Lavrov, ministro das Relações Exteriores da Rússia.

“Os EUA não estão apenas retirando suas tropas do Afeganistão. Ao fazer isso, estão admitindo o fracasso de sua campanha”, disse chanceler durante discurso ante estudantes da Universidade Federal do Extremo Oriente.

Lavrov enfatizou também que a ameaça de ataques terroristas no Afeganistão está aumentando em meio à retirada das tropas dos EUA do país.

“O principal problema é a crescente ameaça de ataques terroristas. Os talibãs estão agindo de forma mais belicosa”, explicou Lavrov.

Segundo ele, isto está relacionado com a relutância do governo afegão em formar um governo de transição, em conformidade com os acordos alcançados, em meio à retirada das tropas americanas, que promovem uma solução militar para o conflito.

Fronteira entre Tajiquistão e Afeganistão
© AFP 2021 / VYACHESLAV OSELEDKO
Fronteira entre Tajiquistão e Afeganistão

Ao ser questionado se a Rússia vai enviar tropas para o Afeganistão, Lavrov respondeu:

“Se vamos enviar nossas tropas para o Afeganistão? Eu creio que a resposta é óbvia”, observou.

O chefe da diplomacia russa abordou as preocupações sobre possíveis ataques a países vizinhos, tais como o Tajiquistão. Ele declarou que a Organização do Tratado de Segurança Coletiva (CSTO) considerará imediatamente qualquer ataque ao Tadjiquistão a partir do território do Afeganistão.

Em meio à ofensiva do Talibã (organização terrorista, proibida na Rússia e em vários outros países) no norte do Afeganistão, as tropas governamentais afegãs fugiram para o território do Tajiquistão.

Lavrov disse que o Daesh (organização terrorista, proibida na Rússia e em vários outros países) estava aumentando sua presença no norte do Afeganistão, perto da fronteira com países aliados da Rússia.

Comentários: