Brasília, 25 de novembro de 2021 às 11:29
Selecione o Idioma:

Chile

Postado em 04/08/2020 8:44

Novos protestos mantêm a tensão na região sul do Chile

.

Santiago do Chile, 4 de agosto (Prensa Latina) Protestos e incidentes durante a noite e nas primeiras horas da manhã continuam a causar tensão nas cidades da região de La Araucanía, cenário do último fim de semana de fortes atos de violência.
Segundo relatos da Rádio Biobío daquele território, houve várias interrupções de trânsito nas estradas da região, onde os habitantes mapuches ergueram barricadas, incendiaram pneus e travaram alguns confrontos com as forças policiais.

Os manifestantes protestaram contra os atos de racismo contra os indígenas ocorridos no sábado, liderados por civis armados, e em apoio ao líder espiritual mapuche Celestino Córdoba e cerca de vinte prisioneiros que estão em longa greve de fome nas prisões da região.

Segundo a imprensa, um sargento dos fuzileiros foi supostamente baleado durante os confrontos da Rota 5, a mais importante do país, no setor Collico de Ercilla, um dos lugares onde ocorreram os violentos eventos do fim de semana.

Também em outros pontos dessa estrada durante a noite, o tráfego foi interrompido com barricadas incendiadas por manifestantes.

Da mesma forma, na cidade de Osorno, uma marcha pelas inúmeras estradas de apoio ao povo mapuche terminou em incidentes com os policiais, que prenderam pelo menos seis pessoas.

Nesta terça-feira, o Ministro do Interior questionado, Victor Pérez, descartou que sua visita a La Araucania na sexta-feira fosse o gatilho para os atos de violência contra cidadãos mapuches em várias comunas daquela região.

Pérez declarou à mídia que ‘eu não fui provocar ninguém’. Fui iniciar um diálogo, para apoiar e fortalecer a ação da polícia, dos fuzileiros e da Polícia Investigativa que protegem todos os chilenos, e vamos perseverar nisto.

No entanto, políticos de diferentes setores e organizações sociais indicaram que o ministro, que está no cargo por uma semana hoje, durante sua visita, chamou os prefeitos de várias comunas onde os manifestantes mapuches tinham ocupado as instalações municipais, para despejá-los a qualquer custo.

Comentários: