Brasília, 29 de junho de 2022 às 17:03
Selecione o Idioma:

Venezuela

Postado em 10/04/2022 9:45

Expectativas na Venezuela diante de processos contra opositores

.

Caracas (Prensa Latina) O anúncio de mais de vinte investigações abertas na Venezuela contra o ilegítimo governo interino, liderado por Juan Guaidó, cria hoje expectativas quanto à possível condenação do líder da oposição e seus colaboradores.

Esta semana, ao fazer um balanço da sua gestão perante a Assembleia Nacional (Parlamento), o Procurador-Geral Tarek William Saab informou que existem 23 processos abertos por atos de corrupção, ligações criminosas e usurpação de funções, pelo que até hoje, 59 mandados de prisão foram solicitados.

Da mesma forma, as autoridades venezuelanas realizaram 21 batidas, 15 apreensões e solicitaram 258 bloqueios e imobilização de contas bancárias de pessoas vinculadas a esses crimes.

O magistrado lembrou que o governo virtual de Guaidó incorreu em atos como a nomeação irracional de embaixadores e de um procurador-geral da República inexistente, além de membros de conselhos administrativos ad hoc de várias instituições estatais e empresas venezuelanas no exterior.

Ressaltou que esse setor político defendia o bloqueio e se apropriava ilegalmente de ativos venezuelanos no exterior, avaliados em bilhões de dólares, como a petrolífera Citgo (Estados Unidos), a petroquímica Monómeros (Colômbia) e as reservas de ouro do Banco da Inglaterra.

“Por trás de um discurso político digitado nos centros do poder mundial, formou-se essa organização criminosa que roubou bens da República e desviou ajuda humanitária”, denunciou Saab perante o corpo legislativo.

O procurador-geral indicou que o falso governo trabalhou lado a lado com países hostis para prejudicar todos os venezuelanos, além de colaborar com grupos terroristas e organizar golpes, invasões mercenárias e tentativas de assassinato, afirmou.

Ressaltou também que a derrota dos planos desse setor da oposição significou um novo ressurgimento da política, do debate e do estabelecimento de novos espaços de negociação.

Paralelamente, a reativação do processo de diálogo entre Governo e oposição, que incluirá também setores sociais e econômicos, é vista como uma possibilidade real no curto prazo.

Em entrevista concedida à Venezolana de Televisión, o deputado à Assembleia Nacional Roy Daza, comentou que se espera a participação de várias forças políticas do país na etapa de diálogo, prevista para ser realizada desta vez em território nacional.

O também líder do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) especificou que a recuperação econômica permite alcançar novos níveis de estabilidade, que oferecem um melhor cenário para o Executivo bolivariano dialogar com os setores da oposição.

Comentários: