Brasília, 27 de outubro de 2021 às 06:29
Selecione o Idioma:

Internacional

Postado em 02/08/2021 9:47

EUA e Reino Unido teriam dado ‘luz verde’ a Israel para retaliar Irã após ataque a petroleiro

.

ORIENTE MÉDIO E ÁFRICA

Sputnik – Irã rejeitou o envolvimento do país no ataque contra o petroleiro Mercer Street no mar Arábico que ocorreu na quinta-feira (29), condenando as acusações lançadas pelo governo israelense.

Tel Aviv teria recebido “luz verde” de Washington e Londres para retaliar o Irã após o incidente no mar Arábico, atribuído pelos três países à República Islâmica, revelou no domingo (1º) o portal israelense Kan.

De acordo com a mídia, as autoridades israelenses estão discutindo como e quando responder, tendo entre possíveis alvos um porto iraniano ou um navio militar.

Israel também planeja compartilhar informações de inteligência adicionais com outros países da região para “condenar” o Irã.

O portal assinala entretanto que Tel Aviv acredita que as mortes de dois tripulantes do navio no ataque não foram intencionais.

Mercer Street, petroleiro de bandeira liberiana administrado pela israelense Zodiac Maritime que foi atacado na costa de Omã. Foto de arquivo
© REUTERS / JOHAN VICTOR
Mercer Street, petroleiro de bandeira liberiana administrado pela israelense Zodiac Maritime que foi atacado na costa de Omã. Foto de arquivo

O governo israelense disse anteriormente que possuía evidências do envolvimento iraniano no ataque. Tel Aviv recebeu apoio dos EUA e Reino Unido, com o secretário de Estado dos EUA Antony Blinken prometendo uma “resposta apropriada”. Segundo ele, o Irã supostamente usou um “VANT explosivo descartável” para atacar o navio.

Teerã rejeitou as alegações de seu suposto envolvimento, condenando as acusações. O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã, Saeed Khatibzadeh, afirmou neste domingo (1º) que Israel está criando um ambiente de insegurança, terror e violência.

Duas pessoas morreram no incidente. Segundo informações, teriam sido o capitão, um cidadão romeno, e um segurança britânico.

Comentários: