Brasília, 5 de agosto de 2022 às 15:25
Selecione o Idioma:

Estados Unidos

Postado em 29/05/2022 11:11

EUA: Cúpula da Vergonha

.

Por Deisy Francis Mexidor
Havana, 29 mai (Prensa Latina) A IX, organizada em Los Angeles pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e pela Organização dos Estados Americanos (OEA), é definitivamente uma vergonha, disse a ativista Claudia de la Cruz.

Co-diretora do The People’s Forum, movimento sediado em Nova York, De la Cruz rejeitou em declarações exclusivas ao semanário Orbe a posição do governo norte-americano por promover essa “mal nomeada Cúpula que exclui países da região”.

Ela disse que é muito indicativo impedir a participação na reunião -prevista para 6 a 10 de junho naquela cidade da Califórnia- para nações “que tiveram a capacidade de criar projetos de Estado que colocam no centro e na vanguarda de suas políticas e de seu programa o povo e as necessidades de seu povo”.

Cuba, Venezuela e Nicarágua tiveram a coragem de se afastar do modelo neoliberal, ao contrário de outros países da região que o seguiram, destacou a ativista ao discutir as razões da seletividade de Washington.

Ela insistiu que esta reunião também faz parte do interesse contínuo dos Estados Unidos “em manter a hegemonia no continente em um momento em que perde tanto isso quanto legitimidade em todo o mundo”.

“Para nós”, disse ela, “é importante contrariar as narrativas, a agenda na mesa de um encontro que não é das Américas, mas de interesses capitalistas e que resulta excludente porque os trabalhadores e suas lutas são deixados fora.”

De la Cruz destacou que diante deste evento de Biden e da OEA, uma “contra-Cúpula” está sendo articulada, graças aos esforços de mais de 150 grupos dentro dos Estados Unidos e alguns do continente, como o Movimento ALBA .

“Vamos nos mobilizar em Los Angeles (de 8 a 10 de junho) para contrariar o que Biden e a OEA querem apresentar e, por sua vez, criar um espaço necessário para o debate.

“Queremos aprofundar a democracia popular, a solidariedade do internacionalismo, como podemos defender a soberania contra a agenda imperialista”, acrescentou.

Também membro da Assembleia Internacional dos Povos, De la Cruz alertou que os Estados Unidos não têm moral nem poder para continuar impondo sua agenda ao resto do hemisfério.

Tampouco é o país que poderia ser apontado como exemplo de democracia, justiça ou soberania.

Há milhões de pobres sem nenhum apoio do Governo; Há um número alarmante de mais de 500.000 pessoas vivendo nas ruas, só em Los Angeles há 38 por cento da população sem-teto, concluiu.

(Retirado de Orbe)

Comentários: