Brasília, 16 de maio de 2022 às 13:05
Selecione o Idioma:

Cuba

Postado em 29/07/2020 6:04

Díaz-Canel: As lutas atuais definem a independência de nossa América

.

Havana, 29 de julho (Prensa Latina) A independência real e definitiva de nossa América hoje depende do caráter, força e razão das lutas atuais, reconheceu o Presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel.
Em seu discurso nesta terça-feira durante a reunião virtual de líderes para o 30ú aniversário do Fórum de São Paulo, o presidente pediu às forças políticas da plataforma que se mobilizem para enfrentar novos desafios, junto a movimentos sociais e populares.

Em meio ao drama humano mais complexo que o planeta está enfrentando, devido à crise causada pelo Covid-19, o governo dos EUA não interrompe seus planos hegemônicos na região, denunciou.

‘Os paradigmas neoliberais caíram completamente em descrédito. Querendo ou não, quer aceitem ou não, seus seguidores crentes, a história de seu experimento econômico está prestes a terminar; ou a existência humana ficará ainda mais comprometida’, previu o presidente. Os atuais ocupantes da Casa Branca reviveram a Doutrina de Monroe, o McCartismo e a interferência, com a ameaça do uso da força e a promoção da judicialização da política contra organizações e líderes de esquerda e progressistas. ‘Falo em nome de um povo heroico e nobre, que há 60 anos resistiu ao mais cruel e genocida dos bloqueios, um cerco econômico, comercial e financeiro da maior potência do mundo, intensificado em meio ao confronto com a pandemia’, acrescentou. Desde a sua criação, o Fórum de São Paulo renovou os ideais socialistas com personalidade e força próprias no quintal do império, disse o chefe de Estado. Díaz-Canel descreveu a fundação do Fórum como uma façanha unitária por iniciativa do líder histórico da Revolução Cubana, Fidel Castro, e do ex-presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva. ‘Quando a União Soviética e o campo socialista da Europa Oriental se desintegraram, e seus coveiros insistiram em enterrar as ideias libertárias da esquerda deste lado do mundo, a criação do Fórum de São Paulo foi como um leme para o navio, parecia estar à deriva’, disse ele. Ele também lembrou que a data coincide com o 66ú aniversário do nascimento do ex-presidente venezuelano Hugo Chávez, a quem descreveu como um amigo próximo das Grandes Antilhas e de todos os povos que estão lutando. A indicação que também reuniu o presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, e seu colega venezuelano, Nicolás Maduro, foi transmitida nas redes sociais pela conta oficial da Presidência cubana.

Comentários: