Brasília, 28 de novembro de 2021 às 07:57
Selecione o Idioma:

Chile

Postado em 28/05/2020 9:19

Chile: Latam Airlines pede Lei de Falências dos EUA

.

Santiago do Chile, (Prensa Latina) A companhia aérea da América Latina solicitou à Comissão do Mercado Financeiro do Chile (CMF) que reorganizasse e reestruturasse sua dívida nos termos da Lei de Falências dos Estados Unidos, devido aos efeitos da crise global devido à Covid19.
A mídia local informa hoje que o grupo e suas subsidiárias no Chile, Peru, Colômbia, Equador e Estados Unidos também anunciaram a cessação de pagamentos, enquanto o processo voluntário de reorganização e reestruturação da dívida será realizado com o apoio de Cueto e Amaro e Qatar Airways, dois dos maiores acionistas da empresa.

Roberto Alvo, executivo da América Latina, explicou em comunicado que a companhia aérea entrou na crise do Covid-19 como um grupo de companhias aéreas lucrativas, mas circunstâncias excepcionais levaram a um colapso na demanda que interrompeu a aviação global e suas receitas e mudanças para esta indústria com vista para o futuro.

Ele considerou que a decisão tomada representa a melhor opção para estabelecer as bases corretas para o futuro do grupo.

O comunicado também indica que a empresa está conversando com os governos do Chile, Brasil, Colômbia e Peru para buscar apoio para obter financiamento adicional e proteger empregos.

A Latam informou que a reorganização solicitada permitirá que as subsidiárias continuem operando voos de passageiros e de carga, sujeitas à demanda por seus serviços e restrições de viagem e que todos os bilhetes atuais e futuros serão honrados, além de vouchers, milhas e benefícios de viagem políticas de passageiro frequente e flexibilidade.

Ele acrescentou que os funcionários continuarão a receber seus salários e benefícios, conforme estipulado nos termos de seus contratos de trabalho, e os fornecedores serão pagos pontualmente e pelos bens e serviços entregues a partir de 26 de maio de 2020 em diante, bem como durante todo esse processo.

Também é apontado que as agências de viagens e outros parceiros de negócios não serão afetados ou terão problemas em sua interação com o grupo Latam.

Comentários: