Brasília, 17 de agosto de 2022 às 04:23
Selecione o Idioma:

Paraguai

Postado em 25/05/2022 12:10

Camponeses paraguaios exigem legalização de assentamentos

.

Assunção, 25 de mai (Prensa Latina) Camponeses paraguaios de diversos departamentos continuarão hoje um protesto de dois dias para exigir a legalização dos assentamentos, uma demanda adiada por sucessivos governos.

A mobilização terá o seu clímax esta quarta-feira durante um comício em frente à sede do Ministério das Obras Públicas e Comunicações, ao qual se juntarão representantes que se deslocam nas últimas horas de outras regiões.

Grupos de agricultores realizaram suas marchas no dia anterior de locais públicos como a Plaza OLeary até a sede nesta capital do Instituto Nacional de Desenvolvimento Rural e Agrário.

Os queixosos carregam cartazes com o tema “legalização, regularização e desenvolvimento de assentamentos”, que é o foco dos protestos, convocados pela Federação Nacional dos Camponeses.

Muitos camponeses permaneceram nos seus locais de reunião desde as primeiras horas desta terça-feira, vigiados por uma forte força policial organizada para controlar a ação, acrescentaram representantes daquela organização.

Os protestos agrários também denunciam a chamada “Lei Zavala-Riera”, promulgada em setembro de 2021, que criminaliza as lutas do setor pela terra com penas de cinco a 10 anos de prisão.

Desde então, lideranças do setor vêm pedindo diversas ações contra essa regulamentação, argumentando que ela beneficia apenas os proprietários, 2,5% dos quais possuem 85% desse recurso.

Segundo estatísticas internacionais, o Paraguai é o país da região com a distribuição de terras mais desigual, dos quais apenas 10% estão nas mãos dos 280.000 pequenos e médios proprietários.

Comentários: